quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cotidiano, com coisinhas à toa....

Artemisia Gentileschi, atenta aos meus passos, a minha lente apontada para ela e as outras gatas......
O Claude Levi-Strauss meditando tranquilamente na porta enquanto as malucas das irmãs correm em zig zag atras de uma bolinha feita de meia.
Djanira acaba perdendo a bola para o Claude, que não conseguiu meditar por muito tempo la na porta.....
Djanira pegando de jeito a boneca Amazonia que esta aqui para ser restaurada
Enfim, depois de tanto trelar, uma pausa para descansar.



Isso pode ser um dia bacana, sem saber nada do que se passa la fora no vasto e pequeno mundo. Hoje a tarde visitando uma colega da faculdade, percebi o quanto é bom estar na própria casa, sem som de TV, trazendo para nós umas noticias esdrúxulas e que no final nada podemos fazer para melhorar os acontecimentos.
Ate agora estou digerindo uma noticia bastante ruim, que eu ouvi e vi enquanto estava na casa da colega, dada pelo ancora da TV GLOBO.Numa pequena cidade do sul do Mato Grosso do Sul, dois médicos se atracaram aos murros numa sala de parto, enquanto uma mulher estava la para parir sua filha. A filha nasceu morta, por asfixia, segundo o laudo medico;enquanto eles, os dois médicos estavam brigando.Enfim,,,,,
por isso prefiro ficar aqui, olhando os gatos brincarem,as perecas procurando vitimas, coisinhas à toa que fazem tanto bem.....

4 comentários:

Rui Luís Lima disse...

A notícia que nos conta transmitida pela TV Globo é na verdade trágica. A casa que habitamos termina sempre por ser um bom refugio da loucura do mundo que nos rodeia. São os pequenos prazeres: ler um livro, ver um filme, escrever um pensamento, que nos abrem as portas para a tranquilidade que todos nós aspiramos.
PS-Gostamos do nome do gato:Claude Levi-Strauss:)
Paula e Rui Lima

Adrianina disse...

Que nombre tan chistoso Claude Levi-Strauss, yo tenía un gatito que se llamaba Vittorio.
Son animalitos queribles.

Un bso grande.;-)

Zélia Guardiano disse...

Adorei tudo, Tamar!
Os nomes dos gatos, o fato de Djanira ter voltado depois da fuga que sugeria até que a coitadinha poderia ter se tranformado numa iguaria,estas fotos tão delicadas, a sua reflexão sobre a violência que não escolhe lugar nem ocasião para manifestar-se...
Na verdade, amiga, a sua casa , os seus bichos,a sua arte, a sua vida , transmiem a idéia de oásis...

olhodopombo disse...

Zelia, para mim, é mesmo como um oasis..
agora mesmo eu tive que fechar todas as portas e janelas,
para impedir que um safado me impedisse de ouvir don giovani de mozart....acontece que o energumeno com um som de carro nas alturas estava impondo estes hinos esdruxulos evangelicos cujas gralhas zumbim em nossos ouvidos a força....porque eu estou para ouvir vozes mais abominaveis do que destes cantores e cantoras que vomitam essas cosas horrendas a todo mundo,,, aqui não existe respeito sonoro.
todos se dão o desfrute de ouvir o som na altura que desejar, sem respeitar o proximo....