quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Cotidiano carioca, hoje bizarro!

E teve ameaça de bomba bem aqui no nosso quarteirão, no Leblon. Policia com carro apitando; gente na rua em vez de se afastarem as pessoas se aproximavam e os policias fazendo as pessoas recuarem, patetico e hilario ao mesmo tempo! a rua ficou em panico! e eu passei pelos policiais e falei bem assim: eita é uma bomba do ESTADO ISLAMICO! ELES CHEGARAM! HAHAHAHH
 levaram a caixa, quadrada, embrulhada de papel branco de uns 40 centimetros quadrados....

A caixa, parecida com uma maleta  estava em cima do capô de um carro bem na frente do portão do nosso predinho! hahahahah

Eu ouvi uma vizinha falar alto no telefone dizendo que era moradora do Leblon! E eu pensei, "nossa deve estra tendo uma briga  por ai!" Nem imaginava essa coisa de ameaça de bombas durante as olimpíadas por aqui!

Eu estava saindo de casa para ir ao mercado comprar café. E não estava com a máquina. Fiquei irritada de ter marcado essa touca. Sair nesse tempo aqui no Leblon, sem equipamento fotográfico. Quando retornei fiz uma foto com meu celular do carro sem o pacote porque a policia já tinha levado o pacote embora! E as pessoas foram para a praia ou saíram para bater pernas no shopping Leblon, aqui na rua!


Quando a policia já tinha ido embora. Não me deixaram fotografar com o celular....odio!

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

cotidiano na cidade do Rio de Janeiro, pequenos recortes.

Ando pelas ruas dos bairros de Ipanema e do Leblon e me estendendo para os lados da Lagoa Rodrigo de Freitas percebi que em frente a alguns edifícios luxuosos a falta de vegetação é gritante. Nenhum jardim, nada de flores, nas calçadas a falta das arvores frondosas que em muitos prédios antigos ainda permanecem me fizeram refletir sobre isso. Quanto mais luxo mais frios são esses habitantes? Será medo de emboscadas na entrada de suas mansões verticais? Mas para que servem tantos porteiros nordestinos e seguranças ostensivos para tudo isso?

domingo, 31 de julho de 2016

cotidiano de uma grande cidade, aqui o Rio de Janeiro

Na orla das praias de Copacabana Ipanema e Leblon resolveram construir uns espaços comerciais tão grandes que a gente não vê mais o Mar se estiver do outro lado da calçada!!! É inacreditável até onde chega a ganancia humana!

Na Lagoa Rodrigo de Freitas tem uma faixa para pedestres e bicicletistas. Porém, apesar de um aviso que a pista é prioridade do pedestre, quem está em rodas não quer nem saber; são bicicletas e skates que disputam o espaço e são capazes de atropelar qualquer um pedestre que esteja em sua frente.

O brasileiro é assim, adora imitar o que vê fora do país! Em algum lugar lá das oropas gente enche uma ponte de cadeados; dizem que a coisa está tão pesada que está ameaçando a própria ponte! Isso foi o que a televisão mostrou; e agora o povo transferiu o problema para uma pequena grade na Lagoa Rodrigo de Freitas!

As calçadas cariocas estão disputando com as calçadas do Recife o título de qual é a pior das piores. Felizmente aqui esse passarinho bebe água. Certamente algumas vezes "ha males vem para bens"?

Apesar das águas sujas a gente pode  fazer uma bela imagem!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O COTIDIANO

A gente acaba de colocar o bebê para dormir, depois de muitas estripulias para fazer com que ele durma e ai chega
o cara da assistência técnica do aquecedor do chuveiro! Ele chega numa hora de almoço, fazendo barulho, falando alto num celular e nem te olha direito na cara.
Ai você diz: "mas nesse momento o bebê está dormindo e não dá para você fazer nada agora ( tinha sido marcado para amanhã, depois das 14:00hs.); mas o cara é tinhoso, insiste e fica . Você que se livrar dele, manada-o entrar e ir dar uma olhada no chuveiro e pedindo para que não faça barulho.
Ele faz ouvidos de mercador, sobe a escada falando num celular (e alto), faz barulho  ao subir as escadas.com os sapatos e entra dentro do banheiro; mexe aqui e ali, desce as escadas falando alto e menos de 30 minutos que o bebe adormeceu ele acorda irritado.
O cara já foi embora. O bebe irritado e todo mundo chateado.
O que fazer?

domingo, 17 de julho de 2016

fotografando sem equipamento

Eu tenho andado pelas ruas do Rio de Janeiro apenas observando cenas cotidianas. E tem muita cena divertida, assim como tem cena bizarra e outros tipos de cena.
Porém o que mais me chamou a atenção essa semana que passou foi uma cena que eu nunca tinha visto antes. Uma mulher nem jovem e nem velha com um cachorro na corrente e com coleira, deitado no chão de uma rua lá do bairro do Catete todo estrupiado e com um cartaz do lado pedindo esmolas. A mulher de fofoca com um sujeito na frente do café de vez em quando passava os olhos pelo cachorro e os transeuntes. Deu para ver que na cartolina do cartaz estava descrito a doença do cachorro e pedindo pelo amor de deus que o ajudassem com dinheiro para consultar um veterinário!
Uma rara cena, com certeza!