domingo, 7 de março de 2010

A Chuva...

ilustrei o texto com fotos de pinturas minhas, como essa casinha buziana cujo vaso de flores me atraiu...na época da foto. a pintura é óleo em cima de xerox de foto preto/branca
tinta acrílica sobre madeirite, um estudo de linhas na aula do professor Ayrson Heraclito, de artes.
Óleo sobre tela, paisagem gaúcha
aqui seria um vendaval; estudo de tempera de ovo com óleo de banana, urucum e grafite, na aula de Artes do professor Ayrson Heraclito, maravilhoso.na foto abaixo, grafite sobre tela pintada com tinta acrílica......seria a chuva negra.
Eu sempre quis e tentei muitas vezes fotografar a chuva, mas nenhuma imagem que eu fiz, me satisfez. E ontem realmente a Chuva chegou em Cachoeira e foi fantastica! Em pouco menos de duas horas todo o centro imundo da cidade estava intransitavel...e eu so querendo me molhar e crer e ver as aguas sai de casa com a desculpa deque ia comprar agua! E adorei o passeio, mais ou mnos as cinco horas da tarde... nem preciso falar muito que parecia uma noite sem estrelas, totalmente escura ficou toda a região....ai fui no supermercado andando como tivesse nadando.
O super mercado Pereira, que é o mais provido e pertence a familia do prefeito de Cachoeira, estava ALAGADO, chovendo dentro, como estivessemos na propria rua, ao relento. E a agua entrava pela porta da frente, vindo das ruas alagadas que estão com todos os bueiros entupidos de lixo, e de cima, do Ceu... foi hilario ver todo o supermercado com bacias e baldes espalhados pelos chão e com os funcionarios desesperados tentando que a agua não molhasse as mercadorias,
aparando as aguas, como a casa de qualquer pessoa desfavorecida que não pode fazer consertos!E isso durou algum tempo; quem estava fazendo compras ficou que nem um besouro doido, procurando canto....inclusive eu, que so fazia rir, achando o maximo a situação.
Ai quando consegui sair, foi outro tumulto com gente apinhada nas portas das lojas sem conseguir andar e sem dar espaço para quem queria curtir a aventura de estar debaixo da tempestade. Mas consegui furar o cerco e entrar na chuva.Dei uma volta pela cidade toda tentando chegar na minha casa.Quando consegui chegar na principal rua que da acesso a minha fiquei espantada com a cena que eu vi:Em todas as casas as aguas invadiram por tras, pelas portas das cozinhas trazendo uma lama fedida, preta, suja, e as pessoas estavam trabalhando que nem loucas , jogando agua limpa para tirar a lama......
Tudo isso porque não se dão conta de como tratam o proprio lixo.

9 comentários:

Filomena Lonetti disse...

Feliz Día de la Mujer!!!!!!!!

olhodopombo disse...

Obrigada Filomena Lonetti......

Pedrita disse...

adorei! ótimas telas! beijos, pedrita

olhodopombo disse...

Pedrita,
beijos,,,,

Multiolhares disse...

Desconhecia esta tua bonita parte artística, parabéns, por aqui também não para de chover temos até algumas estradas fechadas
beijitos

Carla disse...

Amei a primeira tela mas amei demais a forma como voce encarou o dia de ontem , só pode mesmo ser artista porque voce é mesmo "doida", encarar a chuva por prazer??????Bj

Zélia Guardiano disse...

Tamar
Tudo maravilhoso, com destaque para a casinha buziana com vasinho de flores...
Sua pintura, para mim, é um show!Quanta autenticidade!Beleza pura!!!
Já a chuva, é capaz de nivelar as pessoas; de igualá-las...rsrsrs... A chuva tem sua magia, sempre, em todos os sentidos.
Respondi seu comentário lá no blog.
Bjs

Luis Filipe Gomes disse...

São fortes as tuas pinturas. Eu gosto bem delas e bem desejava ser assim simples e não o simplório que sou na maioria das vezes.
Aqui no "jardim à beira mar plantado" a chuva também não pára. Vão-se batendo registos de épocas anteriores até não haver memória. O pior caso foi o da Ilha da Madeira com 42 mortos.
Aqui faz frio e a chuva passa a neve e a gêlo.


O saneamento básico, os esgotos dos efluentes domésticos, são parte da necessidade básica de salubridade que deveria servir todos e cada um de nós. O vosso Presidente Lula, que eu muito aprecio e admiro, foi claro quando disse que é preciso tirar o povo da merda. Se o nosso mundo não estivesse às avessas não haveria intocáveis nem na India, nem em lado nenhum. E os que nos tiram da merda deveriam ser os mais bem pagos, e aos quais deveriamos atribuir o maior prestígio social.
Luís

poetaeusou . . . disse...

*
belo, belo, belo,
parabens,
,
conchinhas, deixo,
,
*